Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo

Breve descrição

Grau de ensino: Profissional

Sobre o Programa e atividades Eco-Escolas

Atividades Eco-Escolas 2017-2018


DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Esta atividade foi realizada no dia 19 de outubro de 2017 e desenvolvida na Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo, para a celebração do Dia Mundial da Alimentação Saudável.
Este projeto foi promovido de forma interdisciplinar com o objetivo de consciencializar todos os alunos para a importância de uma alimentação saudável.
Numa primeira fase, as alunas do 3º ano do curso Técnico de Apoio à Infância, na disciplina de Expressão Plástica, fizeram cartazes, jogos e roda dos alimentos tridimensional, tudo alusivo à alimentação saudável e às boas práticas. Estes trabalhos estiveram em exposição no dia em que se comemorou o Dia Mundial da Alimentação Saudável. Paralelamente, organizou-se um concurso intitulado “Sobremesa Saudável” para toda a comunidade educativa.
Para a comemoração do “Dia Mundial da Alimentação Saudável” também se organizou uma palestra com os oradores Enfermeiro João Pereira e a Naturalista Maria Feliz.
No dia 19 de outubro, dia que se comemorou na Nossa Escola o “Dia Mundial da Alimentação Saudável”, da parte da manhã, os alunos foram encaminhados para o auditório da escola para assistirem à palestra sobre a alimentação saudável com a naturalista Maria Feliz e o Enfermeiro João Pereira.
Na sala de convívio a Naturalista Maria Feliz expôs os chás e ervas aromáticas e esteve a explicar e a recomendar boas práticas de utilização das mesmas. De referir que da parte da manhã todos os concorrentes que quiseram participar no concurso “Sobremesa Saudável” entregaram na pastelaria a sua sobremesa “saudável”. Assim, foram a concurso variadíssimas sobremesas, tais como bolo de agrião, bolo de cenoura e laranja, tarte de batata doce, torta de laranja, brownie de aveia, espelho de fruta, tarte de maça, bolo de diospiro e bolo de ananás.
Às quinze horas decorreu o concurso da melhor sobremesa saudável, aberto a toda a comunidade escolar.
De salientar que os alunos da turma do 2.º D, do curso Técnico de Pastelaria / Padaria, colaboraram no serviço de apresentação ao júri.
O dia terminou com a degustação das iguarias confecionadas para o concurso da melhor sobremesa saudável no restaurante pedagógico da escola. Para tal, tivemos a colaboração de dois alunos da turma do 1.º M, curso Técnico de Restauração - Restaurante / Bar.
A divulgação deste tema, quer através das atividades envolventes, quer através da participação ativa dos discentes, contribuiu positivamente para a melhoria do processo de ensino-aprendizagem dos alunos.
Para terminar, queremos agradecer a todos os alunos e professores que colaboraram e participaram neste projeto.


IDA A VOUZELA PARA AJUDAR NA REARBORIZAÇÃO

O principal objetivo desta atividade foi ajudar as vítimas dos incêndios da região mais próxima à nossa escola.
Esta atividade estava planificada para ser realizada em três momentos, mas, no entanto, devido à falta de calendário da Câmara Municipal de Vouzela, tivemos que reduzir a nossa visita para apenas um momento. Aqui, os alunos tiveram a oportunidade de plantar árvores e limpar as áreas ardidas, ainda tiveram a possibilidade de ajudar no armazém a equipa de voluntários permanentes, fazendo limpeza do espaço e carregaram uma carrinha com fardos de palha para animais.
De referir que as turmas estão de parabéns devido ao empenho e motivação que demonstraram na concretização desta atividade.


ÁRVORE DE NATAL EM PAPEL
Esta atividade consistiu na construção de uma árvore de Natal para decoração do interior da Escola. Como o principal objetivo era a realização de uma árvore utilizando essencialmente materiais reutilizáveis e a criatividade, foram aproveitadas folhas de papel A3, mais propriamente folhas de teste, que já não são usadas visto que ainda são do tempo em que a escola era uma Escola Secundária.
Para a realização desta árvore aproveitou-se uma estrutura já feita em verguinha e começou-se por amachucar as folhas de papel e prende-las à estrutura.
Posteriormente, para destacar a estrela, colaram-se tampas de plástico vermelhas que se foram juntando para o efeito.
Esta árvore veio mais uma vez mostrar que é possível realizar trabalhos reutilizando diferentes materiais.

RECUPERAÇÃO DA ÁRVORE DE NATAL DO EXTERIOR
A atividade “Recuperação da Árvore de Natal Ecológica” foi realizada com a turma do 3º L, nas aulas de Expressão Plástica, no decorrer do módulo 11 – Práticas de Representação Aplicada II.
O principal objetivo desta atividade era a recuperação da árvore de Natal realizada pelos mesmos intervenientes no ano letivo 2015, voltando a utilizar essencialmente materiais reutilizáveis e a criatividade. Para tal, colocaram-se mais garrafas de plástico em cada módulo (garrafas que se foram guardando para o efeito) e recuperou-se a estrela de Natal tridimensional feita o ano passado aproveitando CD’s que já não tinham utilidade.
Este ano, para dar cor à árvore, foi decidido colocar em cada módulo da árvore tampinhas de plástico de várias cores, e para o efeito foi necessário começar a recolhe-las desde setembro.
Depois de estarem os 8 módulos prontos, fez-se a montagem da árvore no exterior. De referir que, para além da turma do 3ºL, houve a colaboração de outros alunos, que em certas alturas foram prestando a sua preciosa colaboração. Também é de mencionar todos os que ajudaram na recolha de tampinhas de plástico, bem como a ajuda do Sr. Fernando na montagem da Árvore de Natal.
A todos eles um muito obrigada!

PLANTAÇÃO DAS SEMENTES DE PINHEIRO
No dia 27 de setembro de 2017, na cidade de Mafra, a nossa Escola recebeu o Galardão da Bandeira Verde. Neste dia, foi entregue a cada aluno participante, um saquinho com sementes de pinheiro. Posteriormente, os mesmos sacos foram entregues aos alunos do 2º ano do Curso de Produção Agropecuária (2ºA), para que estas sementes fossem plantadas.
No mês de janeiro 2018, juntamente com os professores das disciplinas da área técnica, os alunos fizeram a sementeira dos pinheiros, tendo anteriormente limpo o espaço onde estas foram plantadas para serem transplantadas posteriormente, depois de germinarem.

ECOPONTOS
No âmbito do Programa Eco-Escolas, nos meses de fevereiro, março e abril, construíram-se ecopontos com caixas de cartão para incentivar os alunos, bem como toda a comunidade escolar a separar o lixo.
Esta iniciativa deveu-se ao facto de existirem salas de aula que ainda não possuíam ecopontos para separação do papel e do plástico. Para tal, fez-se um levantamento das salas de aula em funcionamento que ainda não usufruíam de ecopontos e, de seguida, começou-se a recolher caixas de cartão que servissem para o efeito.
Posteriormente, começou-se a pintar as caixas de cartão, umas de amarelo e outras de azul.
Depois dos ecopontos prontos, os mesmos foram distribuídos pelas salas de aula que ainda não os possuíam.


RECOLHA DE TAMPINHAS DE PLÁSTICO
Ao longo do ano letivo, recolheram-se tampinhas de plástico para promover a separação seletiva do plástico.
Para tal, começou-se por recolher garrafões de plástico que foram posteriormente distribuídos pelas salas de aula e corredores, com o intuito de incentivar os alunos, bem como toda a comunidade escolar a separar o plástico. De referir que no dia 23 de abril de 2018, com a ajuda dos alunos do 1º M - turma de Currículo Específico Individual (CEI), finalizou-se a distribuição dos garrafões de plástico por todas as salas de aula com o intuito de recolher tampinhas de plástico.
De referir, ainda, que também se foram utilizando as tampinhas de plástico para realização de trabalhos, promovendo, assim, a reutilização de materiais.

INSTALAÇÃO DE UMA UNIDADE DE PRODUÇÃO E AUTOCONSUMO (UPAC) PARA PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DE ENERGIA SOLAR
No âmbito do curso Técnico de Energias Renováveis, na disciplina de Práticas Oficinais, os alunos da turma H do 3º ano procederam, à instalação de uma Unidade de Produção e autoconsumo (UPAC) com o intuito de produzir energia elétrica a partir de um painel fotovoltaico e injetá-la na rede elétrica da escola para consumo.
Este sistema foi instalado na cobertura da portaria, permitindo desta forma, sensibilizar a comunidade escolar para a adoção de práticas e medidas de racionalização dos consumos energéticos.
O sistema possibilita, através de um contador de produção, medir a energia produzida e desta forma dar a conhecer os valores da poupança económica da instalação.


INSTALAÇÃO DE UM SISTEMA DE PRODUÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA A PARTIR DE UM SISTEMA FOTOVOLTAICO
Os alunos do 3ºano, do curso Técnico de Energias Renováveis, procederam à instalação de um sistema de produção e armazenamento de energia elétrica a partir de um painel fotovoltaico na sala de práticas oficinais.
Os alunos procederam à instalação, no exterior, de um painel fotovoltaico devidamente orientado a sul e no interior de uma bateria, o respetivo controlador de carga e bateria para armazenamento.
A instalação em questão permitiu aos alunos compreenderem o funcionamento deste tipo de sistemas e desmitificarem os problemas e restrições de uso dos mesmos.

WORKSHOP SOBRE A PRODUÇÃO DE ENERGIA FOTOVOLTAICA E SENSIBILIZAÇÃO PARA A UTILIZAÇÃO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS
De forma a sensibilizar a comunidade escolar para a adoção de práticas e medidas de racionalização dos consumos energéticos, os alunos do 3ºano, do curso Técnico de Energias Renováveis, dinamizaram uma série de workshops tendo como público alvo as restantes turmas do 3º ano da escola.
Durante as sessões os alunos procederam à explicação do funcionamento de um sistema de produção de energia através de um painel fotovoltaico e armazenamento numa bateria.
Esta ação foi bastante importante pois permitiu aos alunos compreenderem de forma simples e prática a forma de produzir e armazenar energia através da energia solar.

CRIAÇÃO DE VESTUÁRIO
A atividade “Criação de vestuário” foi desenvolvida com a turma do 3º L, na disciplina de Expressão Plástica, no Módulo 10: Artes do Espetáculo, com a orientação da professora Patrícia Pinto. A mesma teve os seguintes objetivos: criar e recriar vestuário utilizando roupa que já não tem utilidade e que não está apta a ser usada; explorar diferentes meios, técnicas e materiais reutilizáveis; dar a conhecer à comunidade escolar trabalhos que se podem desenvolver a partir de diferentes materiais reutilizáveis; desenvolver a criatividade.
Para além dos objetivos em cima mencionados, houve a preocupação de incutir nas alunas o hábito de olhar para os resíduos como recursos e não como “lixo”, bem como recriar peças de vestuário tendo em conta os materiais utilizados na sua elaboração, utilizando basicamente materiais reutilizáveis.
Para tal, cada aluna começou por colocar no papel a ideia do seu projeto e de seguida recolheram-se os materiais reutilizáveis para a concretização do mesmo.
Depois de cada aluna decidir o que queria fazer, cada uma começou a criar / recriar o seu vestuário a partir de peças de roupa que já não tinham utilidade e que não estavam aptas a serem usadas. Posteriormente utilizaram materiais reutilizáveis, nomeadamente restos de tecidos, colheres e tampinhas de plástico, caricas, CD’s, jornais, revistas, botões, sacos de plástico, caixas de ovos, entre outros materiais.
Após a execução das peças de vestuário, realizou-se um desfile, no “Dia da Escola”, dia 9 de maio de 2018, onde a turma teve oportunidade de mostrar o trabalho desenvolvido nas aulas de Expressão Plástica.

CENÁRIOS PARA O “DIA DA ESCOLA”
Para comemorar o “Dia da Escola”, dia 9 de maio de 2018, foram realizados cenários utilizando essencialmente material reutilizável.
Para tal, iniciou-se a recolha de materiais reutilizáveis, nomeadamente caixas de cartão, rolos de papel higiénico e de cozinha, caixas de cereais, tampas plásticas, jornais, revistas, entre outros.
Posteriormente criou-se um cenário relacionado com a floresta onde não faltaram alguns animais.
Também foram realizadas letras tridimensionais com materiais reutilizáveis, para assinalar o dia.

PEGADA ECOLÓGICA
No âmbito do Programa Eco-Escolas, no dia 27 de maio de 2018, a turma do curso Técnico de Desporto - 2ºE, juntamente com as professoras Patrícia Pinto e Carla Alves, participaram na Pegada Ecológica, enquadrada na Meia Maratona do Douro Vinhateiro 2018.
Esta atividade consistiu em recolher o maior número de garrafas de plástico deitadas para o chão, pelos atletas ao chegarem à meta, e colocá-las nos contentores espalhados pelo recinto.
Aproveitou-se, também, para recolher as tampinhas de plástico para serem oferecidas à “Nicajoaninha”, menina com síndrome de Schaaf-Yang, visto existir uma campanha de recolha para fazer face aos elevados custos mensais com as terapias da Joana.

INSTALAÇÃO DE LÂMPADAS LED
No âmbito do curso de Técnico de Instalações Elétricas, na disciplina de Práticas Oficinais, os alunos da turma C do 1º ano procederam, no início do ano letivo, à elaboração de um estudo sobre consumos elétricos nos edifícios do complexo escolar. Face aos resultados obtidos em virtude dos níveis de utilização dos diferentes espaços, foi decidido intervir em todas as salas de aula procedendo à substituição das lâmpadas existentes por lâmpadas LED. A tarefa foi realizada em articulação curricular com todas as disciplinas do curso, tendo os alunos aplicado inúmeros conhecimentos adquiridos na componente técnica do curso.

APROVEITAMENTO DA ÁGUA DA MINA
No âmbito do projeto de articulação curricular do Curso de Produção Agropecuária, turma do 2ºA, procedeu-se à captação da água da mina, recurso natural existente na nossa Escola, para consumo dos animais, limpeza do parque animal, lavagem de equipamentos / tratores e ferramentas agrícolas.
Inicialmente foi construída uma estrutura para lavagem dos tratores, equipamentos e ferramentas agrícolas. Com esta estrutura feita, procedeu-se à canalização da água da mina até ao posto de lavagem. Posteriormente, também se fez a canalização da água da mina, recurso natural existente na nossa Escola, para o parque animal de forma a utilizar esta água para consumo dos animais e limpeza do parque animal.
Assim, contribuiu-se para a diminuição de consumo de água da rede, aproveitando-se os recursos naturais existentes na nossa Escola.

COMPOSTAGEM / COMPOSTOR
Devido à inexistência de compostagem na nossa Escola, ao longo do ano letivo 2017-2018, a turma do Curso Técnico de Produção Agropecuária, turma do 2º A, com o apoio dos professores da área técnica, realizaram atividades com o propósito de construir um compostor.
Para tal, começou-se por escolher um local para a construção da pilha de compostagem e começou-se a recolher alimentos biodegradáveis, tais como borra do café (bar da escola), legumes da horta estragados, restos orgânicos (cantina escolar), estrume dos animais (parque animal), entre outros. Paralelamente prosseguiu-se à construção da pilha de compostagem com o cuidado de revirar a pilha de compostagem sempre que necessário. Assim, começou-se a usar o composto para adubar a terra funcionando como estrume para o solo (horta e estufa) onde se faz o cultivo de morangos, alfaces, favas, ervilhas, ervas aromáticas, tomates, entre outros produtos biológicos.
No que se refere ao compostor, esta atividade foi enquadrada no projeto de articulação curricular da turma. Desta forma, procedeu-se à encomenda dos materiais considerados necessários. Para a construção do compostor foram utilizadas paletes. No compostor, colocaram-se os restos de alimentos acima mencionados, fazendo-se a manutenção da pilha de compostagem. O composto produzido será utilizado na sementeira do próximo ano letivo.

ATIVIDADES ECO-ESCOLAS 2018/2019

GALARDÃO BANDEIRA VERDE

No passado dia 04 de outubro, a Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo participou, em Pombal, na Cerimónia Nacional de atribuição da Bandeira Verde 2018 – Galardão Eco-Escolas, trazendo para a Escola o galardão Bandeira Verde, certificado de qualidade ambiental da Escola.
No ano letivo 2015-2016 a Escola inscreveu-se, pela primeira vez, no programa Eco-Escolas, abordando ao longo do ano temáticas dos temas base e temas complementares que constituem os pilares do Programa Eco-Escolas.
O Programa Eco-Escolas é um programa vocacionado para a educação ambiental, para a sustentabilidade e para a cidadania, que a Fundação para a Educação Ambiental (FEE) implementa em vários países desde meados dos anos 90. Em Portugal foi implementado pela Associação Bandeira Azul da Europa, desde o ano letivo 1996/97.
Este programa destina-se às escolas e visa encorajar ações e reconhecer o trabalho desenvolvido pela Escola em benefício do ambiente. Aos estudantes é-lhes dirigido o desafio de se habituarem a participar nos processos de decisão e a tomarem consciência da importância do ambiente no dia-a-dia da sua vida pessoal, familiar e comunitária.
A proposta às escolas consiste na adoção de uma metodologia de trabalho (denominada por 7 passos) que, articulando atividades de exploração de diversos temas, contribua para uma melhoria global do ambiente da escola e da comunidade. Este esforço é reconhecido através da atribuição da Bandeira Verde, que certifica a existência, naquela escola, de uma educação ambiental coerente e de qualidade.
No ano letivo 2017-2018 a Escola voltou a inscrever-se conseguindo, novamente, atingir os objetivos propostos pelo Programa Eco-Escolas ganhando a terceira Bandeira Verde.


PLACARD NA REPROGRAFIA
No início deste ano letivo, os alunos do curso Técnico de Apoio Psicossocial (1ºN) e Curso Técnico de Instalações Elétricas (1ºC), com a colaboração dos professores Ricardo Gomes e Patrícia Pinto, realizaram um cartaz com o propósito de sensibilizar a comunidade educativa para a importância da redução do consumo de papel.
Esta atividade foi concretizada porque verificou-se a utilização excessiva de papel na Reprografia da Nossa Escola. Assim, o cartaz foi convertido em placard de grandes dimensões e colocado na Reprografia com o intuito de mostrar, principalmente aos professores, que o elevado consumo de papel provoca o abate de árvores, ou seja a devastação florestal.
Neste placard aproveitou-se para exemplificar a toda a comunidade educativa como se pode reduzir o consumo de papel ao imprimir frente e verso, bem como ao imprimir duas páginas numa folha.
Aproveitou-se, também, para divulgar esta atividade na página do Facebook da Nossa Escola, mostrando, assim, a toda a comunidade, a importância da preservação do meio-ambiente, pois o principal impacto ambiental associado ao fabrico do papel é o abate de árvores para extração de celulose, resultando na devastação florestal.


DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO
No dia 16 de outubro comemorou-se o Dia Mundial da Alimentação. Esta data tem como objetivo chamar a atenção de toda a comunidade escolar sobre a importância de refletir sobre os bons hábitos alimentares.
O Dia Mundial da Alimentação começou a ser celebrado em 16 de outubro de 1981 e, hoje em dia, já abrange mais de 150 países que partilham a preocupação de consciencializar a opinião pública sobre a importância da adoção de hábitos alimentares saudáveis, como promoção da saúde.
Emílio Peres, o “pai” das Ciências da Nutrição em Portugal, preconizava a famosa frase “Somos o que comemos”, e, na realidade, a forma como nos alimentamos tem uma influência determinante, não só no nosso estado de saúde como em todas as atividades diárias, sejam intelectuais ou físicas. E como “desde pequenino é que se torce o pepino”, é na infância que se torna determinante educar as nossas crianças a adotar hábitos alimentares saudáveis.
Na nossa escola, como vem sendo hábito nos últimos anos, distribuíram-se maçãs e bolachas integrais em pacotes individuais. Esta atividade foi dirigida a todos os elementos da comunidade educativa e decorreu ao longo do dia.
Uma boa alimentação é fundamental para o desenvolvimento da capacidade cognitiva dos alunos, ajudando no rendimento escolar e proporcionando outras melhorias, como: aumento da qualidade do sono, da capacidade respiratória e a prevenção do aparecimento de doenças cardiovasculares, por exemplo. Com vista a abordar estes temas fizeram-se alguns trabalhos com os nossos alunos.

POESIA E ENERGIA RENOVÁVEL
No âmbito do Programa Eco-Escolas e da disciplina de Português, os alunos produziram, na biblioteca escolar, textos poéticos por forma a trabalharem os mecanismos de coerência e de coesão textual, articulando com a temática “Energia”. Desta forma, desenvolveu-se, também, a componente de cidadania dos discentes.
Segue o texto poético produzido:
ENERGIA RENOVÁVEL
Na nossa escola, temos
Uma bicicleta para pedalar,
Tem também painéis solares
Para o ambiente preservar.

Na montanha e no alto monte,
Prontas para energia gerar,
Lá estão as gigantes do vento,
Tão altas e senhoras do ar!

A força do vento e a luz do sol
São fontes de energia renovável,
Tornam a natureza mais sã
E o Planeta sustentável.

Alunos do Curso Técnico de Instalações Elétricas (1.ºC) – Hugo Queirós e Luís Vieira



POESIA E ÁGUA
No âmbito do Programa Eco-Escolas e da disciplina de Português, os alunos produziram, na biblioteca escolar, textos poéticos por forma a trabalharem os mecanismos de coerência e de coesão textual, articulando com a temática “Água”. Desta forma, desenvolveu-se, também, a componente de cidadania dos discentes.
Seguem os textos poéticos produzidos.
A ÁGUA…
Se queres água potável,
O ambiente tens de ajudar
Com atitudes corretas
E sendo um cidadão exemplar.

Para dar vida ao Planeta,
Todos temos de ajudar,
A água é o seu bem maior,
Que temos de preservar.

Não ponhas detritos na rua,
Não deites lixo nos rios,
A Terra é minha e é tua
E dela seremos amigos.

Evita gastos de água
E terás um ambiente sustentável,
O seu consumo controlado
Torna o Planeta mais agradável.

Alunos do Curso Técnico de Instalações Elétricas (1.ºC) – David Soares, João Morais e Serafim Carrulo

O OCEANO…
O oceano tem vida…
Que devemos proteger
E, para a sua subsistência,
O derrame de petróleo não poderá acontecer.

O oceano tem vida…
À superfície ou na profundeza:
Peixes, plantas e outros seres
E todos com grande beleza.

O oceano tem vida…
Não é uma lixeira,
Recolhe o teu lixo
E não faças asneira!

Alunos do Curso Técnico de Instalações Elétricas (1.ºC) - David Mota e Tiago Monteiro


RECUPERAÇÃO DA ÁRVORE E REALIZAÇÃO DA ESTRELA DE NATAL
A atividade “Recuperação da Árvore de Natal Ecológica e realização da Estrela” foi concretizada com a colaboração de alguns alunos das turmas do 1ºC, 1ºN, 2ºM, 2ºB, 3ºA, com a orientação da professora Patrícia Pinto, professora de Expressão Plástica.
O principal objetivo desta atividade foi a recuperação da árvore de Natal realizada no ano letivo 2015 e realizar uma estrela de Natal utilizando essencialmente materiais reutilizáveis e a criatividade. Para tal, colocaram-se mais garrafas de plástico em cada módulo, garrafas que se foram guardando para o efeito. Como no ano letivo anterior colocou-se em cada módulo da árvore tampinhas de plástico de várias cores, este ano voltou-se a colocar mais algumas que se foram juntando desde setembro.
Para a realização da Estrela, este ano letivo começou-se a guardar e secar cápsulas de café que até essa altura, depois de usadas, eram deitadas para o caixote do lixo.
Depois de estarem os 8 módulos prontos, bem como a estrela de Natal, fez-se a montagem da árvore no exterior.
De referir que a colaboração dos alunos e do Sr. Fernando foi preciosa, uma vez que sem eles não era possível a realização e montagem da Árvore de Natal.
A todos eles um muito obrigada!

PLANTAÇÃO DE ÁRVORES DE FRUTO NO POMAR DA ESCOLA
Introdução:
No dia 21 de março 2019 – Dia Mundial da Árvore - o aluno Daniel Pinto Ramos do Curso Técnico de Produção Agropecuária, realizou uma das partes práticas do seu projeto de Prova de Aptidão Profissional, integrado também no Projeto de Articulação Curricular da turma e do Projeto Eco Escolas.
A atividade foi aberta aos Pais/ Encarregados de Educação da EPDRR, a docentes e não docentes, que foram convidados a participar nesta iniciativa. Vários professores da área técnica do curso de Produção Agropecuária participaram e ajudaram o aluno na concretização da atividade.
Esta atividade consistiu na plantação de várias árvores de fruto no pomar da escola. Cada turma foi representada pelo delegado e subdelegado que plantaram a sua árvore de fruto, tendo-se criado um dístico identificativo para cada árvore/turma.
Para esta atividade, o aluno Daniel Ramos elaborou um panfleto sobre a efeméride – Dia Mundial da Árvore” e a identificação das árvores utilizadas na atividade. Este panfleto foi distribuído a cada grupo de aluno, aos Pais/ Encarregados de Educação, aos docentes e não docentes participantes.
Foram plantadas 21 árvores de fruto. As 16 turmas da escola fizeram-se representar nesta atividade. O representante dos Encarregado de Educação e alguns docentes também participaram na mesma, trazendo uma árvore para plantar.
Plantaram-se as seguintes árvores: 3 fêmeas Kiwi; 1 macho Kiwi; 2 Amendoeiras; 1 Romãzeira; 2 Ameixoeiras; 3 pessegueiros; 2 damasqueiros; 1 Pereira; 1 Macieira; 1 Cerejeira; 1 Abacate; 1 Limoeiro; 2 Nespereiras.
Descrição da atividade:
No desenvolvimento do projeto de articulação curricular (2ºA e 3º A) e da Prova de Aptidão Profissional, o aluno criou um silo de compostagem no ano letivo 2017/18, com os professores da área técnica e um dos colegas de turma, Nuno Soeiro. Iniciou, já no ano transato, a elaboração de compostagem a partir de matéria orgânica.
Neste ano letivo, o aluno continuou a realizar a compostagem para adubar o terreno/o pomar que serviria para a plantação das árvores de fruto.
Nos dias que antecederam a atividade, com a ajuda dos docentes da área técnica, o aluno Daniel Ramos preparou o terreno do pomar, lavrando-o. Abriu tantas covas quanto o número de árvores a plantar, deixando, entre cada uma, uma distância de 5 metros. O aluno também deixou, junto de cada cova, um pouco do composto que conseguiu obter, para fortalecer as árvores.
Todos os intervenientes participaram na plantação da sua árvore, com entusiasmo. De seguida, procedeu-se à rega da mesma.
Conclusão:
Podemos concluir que a atividade foi muito proveitosa, tendo-se promovido o gosto pelo meio ambiente, pela sua proteção e pelo desenvolvimento sustentável, permitindo ainda divulgar o espaço da escola e da Quinta do Rodo a um maior número de alunos.
A reação / feedback geral foi muito positiva. Concluiu-se que os objetivos foram amplamente conseguidos, tendo a maioria das respostas de satisfação incidido no item “Bom” e Muito Bom”.

PEGADA ECOLÓGICA
No âmbito do Programa Eco-Escolas, no dia 26 de maio de 2019, alguns alunos da nossa escola voluntariaram-se, juntamente com a professora Patrícia Pinto, para participarem na Pegada Ecológica, enquadrada na Meia Maratona do Douro Vinhateiro 2019.
Esta atividade consistiu em recolher o maior número de tampinhas de plástico, pois neste dia encontram-se muitas garrafas de água deitadas para o lixo, ou já nos contentores, pelos participantes na Meia Maratona do Douro Vinhateiro 2019.
As tampinhas de plástico recolhidas na Meia Maratona do Douro Vinhateiro 2019 serão oferecidas ao Renato Martins, menino com paralisia cerebral e Síndrome de West, visto existir uma campanha de recolha para fazer face aos elevados custos mensais com os tratamentos do Renato, nomeadamente Fisioterapia, Terapia da Fala e Terapia Ocupacional.


SALADAS COMPOSTAS SAUDÁVEIS
No 2º período, foi proposto à turma do 2ºJ, segundo ano do Curso Técnico de Cozinha / Pastelaria, confecionarem uma refeição para um evento a decorrer na Nossa Escola.
Com efeito, na disciplina de Serviço de Cozinha / Pastelaria, no módulo 12- Preparação e confeção de entradas, o professor Marco Gonçalves, orientou os alunos na preparação e confeção de diversas saladas compostas utilizando produtos biológicos da horta da Nossa Escola.
Para estas confeções, os alunos colheram da horta produtos biológicos, tais como: salsa, cebolinho, tomates, alface, feijão verde, favas, pimentos padrón, tomilho, hortelã, limão, abóbora, entre outros. De referir que as ervas aromáticas foram utilizadas para substituição do sal.
Assim, para o evento, os alunos confecionaram diferentes saladas compostas saudáveis utilizando os diversos produtos biológicos da nossa horta. Os alunos mostraram-se empenhados e corresponderam de forma positiva às expectativas.


ATIVIDADE SOCIAL- SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADAS NA CASA DO POVO DE GODIM
No âmbito do projeto de Flexibilidade Curricular da turma do primeiro ano do Curso Técnico de Instalações Elétricas, intitulado “Partilha com Energia”, os alunos tinham de realizar uma atividade de caráter social. Assim, na disciplina de Práticas Oficinais, com a ajuda do professor Ricardo Gomes, os alunos decidiram proceder à elaboração de um estudo sobre o consumo elétrico na Casa do Povo de Godim - Peso da Régua.
Face aos resultados obtidos foi decidido intervir em alguns dos espaços onde o consumo de energia era mais significativo, face ao elevado tempo que a iluminação permanece ligada, nomeadamente na sala de convívio e nos corredores, procedendo-se à substituição de algumas lâmpadas existentes por lâmpadas equivalentes em LED.
Esta atividade de caráter social concretizou-se no dia 14 de junho do corrente ano, com a deslocação da turma, à Casa do Povo de Godim. Para tal, foram utilizadas 18 Lâmpadas LED de casquilho E14 e 4 lâmpadas LED de 1,2m.
Nesta atividade os alunos contaram com a colaboração de uma turma da Escola Secundária de Tomar que se encontrava a realizar um intercâmbio e puderam partilhar com eles os conhecimentos adquiridos na componente técnica do curso que frequentam.
Durante esta atividade os alunos tiveram oportunidade de explicar aos mais idosos os benefícios da substituição da “iluminação normal” por lâmpadas de menor consumo, bem como mostrar que o custo dessa alteração rapidamente compensa o investimento realizado.


COMPOSTAGEM / COMPOSTOR
Devido à inexistência de compostagem na nossa Escola, ao longo do ano letivo 2017/2018 a turma do Curso Técnico de Produção Agropecuária, com o apoio dos professores da área técnica, realizaram atividades com o propósito de construir um compostor. Esta atividade foi enquadrada no projeto de articulação curricular da turma e para a construção do compostor, foram utilizadas paletes.
No compostor, foram-se colocando os restos de alimentos biodegradáveis, tais como borra do café (bar da escola), legumes da horta estragados, restos orgânicos (cantina escolar), estrume dos animais (parque animal), entre outros.
Ao longo deste ano letivo, a mesma turma do Curso Técnico de Produção Agropecuária, continuou a recolher os restos de alimentos biodegradáveis, entre outros, e a colocar no compostor realizado no ano letivo anterior, fazendo a devida manutenção, ou seja, revirando a pilha de compostagem.
Por fim, utilizou-se o composto como estrume para o solo aquando da atividade da plantação de árvores no pomar da Nossa Escola, bem como noutras atividades relacionadas com a agricultura.

TAMPINHAS DE PLÁSTICO
Os conceitos de igualdade, de cidadania, educação ambiental, direitos humanos, desenvolvimento sustentável, saúde, entre outros, são essenciais para a formação dos nossos jovens.
Assim, no âmbito da Cidadania e Desenvolvimento e do Programa Eco-Escolas, ao longo deste ano letivo, continuou-se a recolher tampinhas de plástico para a separação seletiva do plástico, atividade já feita ao longo do ano letivo anterior. Para além de promover a separação seletiva do plástico, esta recolha teve outros objetivos, tais como: sensibilizar a comunidade para a importância da preservação do meio ambiente, promover a formação social do sujeito e participar em atos de solidariedade, nomeadamente oferecer as tampinhas recolhidas ao Renato Martins, menino com paralisia cerebral e Síndrome de West.
Para o decorrer desta atividade foi necessário recolher garrafões de plástico vazios de cinco ou mais litros que foram posteriormente distribuídos pelas salas de aula e corredores, com o intuito de neles os alunos e toda a comunidade educativa depositarem as tampinhas de plástico.
Posteriormente, os alunos Jorge Lebres e Leandro Vilela, alunos do segundo ano do Curso Técnico de Restaurante/Bar, orientados pela professora Patrícia Pinto, ao longo do ano letivo, iam recolhendo as tampinhas de plástico depositadas nos garrafões.
No dia 19 de junho de 2019, os alunos envolvidos nesta atividade, juntamente com a professora Patrícia Pinto, foram entregar 140 garrafões cheios com tampinhas de plástico ao Sr. Nuno Martins, pai do Renato Martins, menino com paralisia cerebral e Síndrome de West, visto existir uma campanha de recolha para fazer face aos elevados custos mensais com os tratamentos do Renato, nomeadamente Fisioterapia, Terapia da Fala e Terapia Ocupacional.

ECOPONTOS
Os conceitos de igualdade, de cidadania, educação ambiental, direitos humanos, desenvolvimento sustentável, saúde, entre outros, são essenciais para a formação dos nossos jovens.
Assim, no âmbito da Cidadania e Desenvolvimento e do Programa Eco-Escolas, ao longo deste ano letivo, continuou-se a construir ecopontos com caixas de cartão para incentivar os alunos e restante comunidade escolar, a separar o lixo, bem como sensibilizar para a importância da preservação do meio ambiente.
Esta iniciativa deveu-se ao facto de existirem salas de aula que ainda não possuíam ecopontos para separação do papel e do plástico. Para tal, fez-se um levantamento das salas de aula em funcionamento que ainda não usufruíam de ecopontos e, de seguida, começou-se a recolher caixas de cartão que servissem para o efeito.
Posteriormente, começou-se a pintar as caixas de cartão, umas de amarelo e outras de azul.
Depois dos ecopontos prontos, os mesmos foram distribuídos pelas salas de aula que ainda não os possuíam.


INSTALAÇÃO DE TORNEIRAS COM FLUXO REDUZIDO
Como forma de sensibilizar para a necessidade de reduzir o consumo de água, os alunos da turma do segundo ano do Curso Técnico de Instalações Elétricas, procederam à análise do consumo de água por torneira de lavatório e formas de reduzir esse consumo.
Os alunos determinaram que em média cada torneira existente na escola consome 1,1l/min, pelo que optou-se por encontrar um modelo de torneira cujo consumo fosse mais reduzido, tendo o modelo escolhido um consumo de 0,33l/min, ou seja, apenas 30% do inicial.
Foi também equacionada a instalação de perlatores de caudal reduzido, porém, as torneiras existentes não permitem tal instalação.
Esta atividade revestiu-se de grande importância para os alunos, pois permitiu-lhes compreender a diferença que pequenos gestos, como a escolha de uma torneira, pode reduzir em milhares de litros a água que consumimos.

VISITA Á BARRAGEM DE BAGAÚSTE
No âmbito do projeto de Flexibilidade Curricular das turmas do primeiro ano do Curso Técnico de Instalações Elétricas e Técnico de Apoio Psicossocial, intitulado “Partilha com Energia”, os alunos tinham de realizar uma visita à barragem de Bagaúste aquando o intercâmbio com alunos da Escola Secundária de Tomar. De forma a preparar essa visita, no dia 17 de maio de 2019, dois alunos de cada turma realizaram uma visita preparatória à Barragem de Bagaúste. Essa visita permitiu elaborar uma apresentação sobre a barragem a ser mostrada aquando da realização do intercâmbio. No dia 13 de junho, as duas turmas, juntamente com os alunos da Escola Secundária de Tomar, realizaram a visita à barragem de Bagaúste. A visita começou com uma palestra na qual foi dado a conhecer a estrutura do centro de produção do Douro, que engloba as diversas barragens do rio e efluentes, desde Crestuma-Lever até Miranda do Douro e perceber como é feita a interligação do sistema elétrico, isto é, interligação das subestações em Alta e Muito Alta-Tensão. Durante a visita os alunos puderam ver um alternador, o rotor, o veio de transmissão, as linhas de transporte de energia, bem como visitar as galerias interiores situadas nos alicerces da barragem. À saída da barragem tivemos oportunidade de observar a subida de um barco de turismo, através da eclusa existente para o efeito. Esta visita à Barragem proporcionou aos alunos a oportunidade de enriquecerem os seus conhecimentos sobre a produção e transporte de energia elétrica. Os alunos colocaram questões durante a visita guiada e mostraram continuamente um interesse pelo espaço visitado. Pensamos que os objetivos inicialmente propostos foram cumpridos e até superados, tal o entusiasmo que a visita provocou ao grupo.

VITICULTURA BIOLÓGICA
Ao longo do 2º período o professor Afonso Meireles, com a turma do 2ºB, em articulação com a turma do 3ºB, ambas do Curso Técnico de Vitivinícola, na aula de Viticultura Biológica, pretendeu mostrar aos alunos a importância do revestimento do solo em viticultura, estabelecendo a sua relação com a melhoria da estrutura, controlo de infestantes, fertilização proveniente da biomassa, a melhoria da fauna e a sua influência nas vinhas tornando-as menos sensíveis às doenças, procurando também produzir uvas mais saudáveis.
No 3º período, os alunos, orientados pelo professor Meireles, fizeram a colocação de armadilhas tipo Delta com feromonas para fazer a monitorização da traça-da-uva.
Paralelamente à monitorização, foi realizado o controlo desta praga recorrendo-se à aplicação de difusores do tipo isonet tipo L.
Ainda no âmbito da Viticultura Biológica, o professor Meireles, juntamente com as três turmas de Viticultura, orientou e coordenou a instalação de uma infraestrutura ecológica, na vinha da escola, procurando com esta criar condições para defesa e multiplicação de auxiliares importantes no controlo das pragas em Viticultura.


ATIVIDADES ECO-ESCOLAS 2019/2020

GALARDÃO BANDEIRA VERDE
No passado dia 18 de outubro, a Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo participou, em Guimarães, na Cerimónia Nacional de atribuição da Bandeira Verde 2019 – Galardão Eco-Escolas, trazendo para a Escola o galardão Bandeira Verde, certificado de qualidade ambiental da Escola.
No ano letivo 2015/2016 a professora Patrícia Pinto propôs à Diretora da Escola a implementação do Programa Eco-Escolas, e desde essa altura o tem vindo a coordenar fomentando o desenvolvimento de projetos disciplinares / interdisciplinares em vários cursos, articulando os conteúdos programáticos com os interesses dos formandos e formadores envolvidos e organizando atividades de componente curricular que reforçam a ligação entre a escola e o meio.
O Programa Eco-Escolas é um programa vocacionado para a educação ambiental, para a sustentabilidade e para a cidadania, que a Fundação para a Educação Ambiental (FEE) implementa em vários países desde meados dos anos 90. Em Portugal foi implementado pela Associação Bandeira Azul da Europa, desde o ano letivo 1996/97. Este programa destina-se às escolas e visa encorajar ações e reconhecer o trabalho desenvolvido pela Escola em benefício do ambiente. Aos estudantes é-lhes dirigido o desafio de se habituarem a participar nos processos de decisão e a tomarem consciência da importância do ambiente no dia-a-dia da sua vida pessoal, familiar e comunitária.
A proposta às escolas consiste na adoção de uma metodologia de trabalho (denominada por 7 passos) que, articulando atividades de exploração de diversos temas, contribua para uma melhoria global do ambiente da escola e da comunidade. Este esforço é reconhecido através da atribuição da Bandeira Verde, que certifica a existência, naquela escola, de uma educação ambiental coerente e de qualidade.

No ano letivo 2018-2019 a Escola voltou a inscrever-se conseguindo, novamente, atingir os objetivos propostos pelo Programa Eco-Escolas ganhando a quarta Bandeira Verde.
Em suma, com todo o trabalho desenvolvido, a Nossa Escola, por 4 anos consecutivos, tem sido galardoada com as Bandeiras Verdes.

DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO
O Dia Mundial da Alimentação celebra-se anualmente a 16 de outubro.
Estima-se que o número de habitantes do planeta vai ultrapassar os nove biliões de pessoas em 2050 e que a produção mundial de alimentos vai ter de aumentar em 60% para conseguir dar resposta às necessidades alimentares da população mundial.
Quer seja por questões de saúde ou ambientais, substituir a carne por alternativas proteicas é uma boa oportunidade para experimentar ingredientes alternativos e saudáveis. Os nomes, as texturas e as cores podem parecer-lhe estranhos e diferentes, mas as quantidades de proteína e nutrientes estão todas lá.
Para além das típicas e deliciosas maçãs e bolachinhas, este ano, a equipa do Projeto da Educação para a Saúde quis apresentar alternativas à alimentação de carne ou peixe. A alimentação vegetariana pode ser deliciosa e a variedade é imensa.
Articulando com a preciosa ajuda da turma do 3.ºJ, Curso Técnico de Cozinha /Pastelaria, da professora Dina Tomé e do professor Marco Gonçalves, a equipa PES orientou a confeção de um menu vegetariano de degustação para toda a comunidade.
No menu de prova constavam alguns pratos vegetarianos, tais como: Trouxas de Legumes, Hambúrgueres de Grão-de-bico e Batata-doce e Enroladinhos de Seitan. Os pães de alfarroba com sementes foram também confecionados pelos alunos.
O resultado global foi de algum trabalho na cozinha, muita curiosidade na mesa e excelentes pontuações na prova de degustações.


AUTOCOLANTES COM INFORMAÇÃO DE POUPANÇA DE ÁGUA

Com o intuito de reduzir o consumo de água desperdiçada e sensibilizar a comunidade escolar para a importância da redução do consumo da mesma, foram colocados autocolantes nos espelhos dos sanitários da Escola como forma de poupar água. Aproveitou-se, também, para colocar autocolantes nas salas de aula que possuem torneiras, nomeadamente sala de Expressões. Ao todo, foram colocados 40 autocolantes.


AUTOCOLANTES NOS COMPUTADORES

Com o intuito de reduzir o consumo energético e sensibilizar a comunidade escolar para a poupança energética, foram colocados autocolantes nos computadores que alertam os utilizadores para a necessidade de os desligarem após o seu uso. De referir que o número de computadores na Escola com autocolante é de 193.


SUBSTITUIÇÃO DA TORNEIRA

No primeiro período, na sala das Expressões, foi detetado o desperdício de água devido a uma torneira que pingava. Assim, os alunos do 2º ano do Curso Técnico de Instalações Elétricas (2º C), orientados pelo professor Ricardo Gomes, procederam à substituição da torneira da sala de Expressões.
Após esta substituição, os alunos aproveitaram para afinar o tempo de descarga dos preletores de água de outras torneiras, bem como a substituição de outras com os preletores danificados. Desta forma, foi possível reduzir 20% de água por cada torneira substituída.


ÁRVORE DE NATAL SOLIDÁRIA

A atividade “Árvore de Natal Solidária” foi realizada no âmbito do programa Make-A-Wich, enquadrado no projeto de Cidadania e Desenvolvimento da turma do primeiro ano do Curso Técnico de Apoio Psicossocial (1ºN).
Para participarem no concurso de decoração organizado pela Make-A-Wich, na disciplina de Área das Expressões, no módulo 5, intitulado Comunicação Visual, a professora Patrícia Pinto propôs aos alunos a realização de uma árvore de Natal, utilizando essencialmente materiais reutilizáveis. Para tal, fez-se um levantamento dos materiais existentes na Escola que se tem vindo a guardar para a realização de futuros trabalhos. De seguida, foram analisadas as hipóteses e fez-se um esboço da possível árvore de Natal que serviu de suporte às estrelas Make-A-Wich.
Posteriormente, construiu-se a “Árvore de Natal Solidária” utilizando sobretudo materiais reutilizáveis, tais como potes de plástico da Herbalife, tábuas, ripas de madeira e tampinhas de plástico vermelhas. Após o término da Árvore de Natal, que findou com a colocação das estrelas Make-A-Wich, a mesma foi exposta na sala de convívio dos alunos de forma a dar a conhecer o projeto.
Importa salientar de que foram vendidas 250 estrelas Make-A-Wich (cada uma associada ao donativo de 1€), o que contribuiu para a realização de desejos que ajudam a transformar a vida de crianças e jovens que sofrem de doenças graves, progressivas, degenerativas ou malignas, proporcionando-lhes um momento de força, alegria e esperança.

RECUPERAÇÃO DA ÁVORE DE NATAL ECOLÓGICA E REALIZAÇÃO DA ESTRELA

A atividade Recuperação da Árvore de Natal Ecológica e realização da Estrela foi concretizada com a colaboração de alguns alunos das turmas do 1ºN, 2ºN, 3ºB e 3ºC, com a orientação da professora Patrícia Pinto, professora de Expressão Plástica.
O principal objetivo desta atividade foi a recuperação da árvore de Natal construída no ano letivo 2015 e realizar uma estrela de Natal utilizando essencialmente materiais reutilizáveis e a criatividade. Para tal, colocaram-se mais garrafas de plástico em cada módulo, garrafas que foram recolhidas dos caixotes do lixo e usadas para o efeito. Como nos anos letivos anteriores colocou-se em cada módulo da árvore tampinhas de plástico de várias cores, este ano voltou-se a colocar mais algumas que se foram juntando desde setembro.
Para a realização da Estrela, visto que a do ano passado danificou-se, fez-se um levantamento dos materiais reutilizáveis existentes na Escola que se tem vindo a guardar para a realização de futuros trabalhos. Como esta árvore de Natal é colocada no exterior, dos materiais disponíveis, optou-se por utilizar tampas de alumínio de iogurte que se foram juntando em anos anteriores e alguns pacotes de sumo.
Assim, pegando na estrutura da estrela usada em anos transatos, começou-se a colar as tampas de alumínio de iogurte e os pacotes de sumo.
Depois de estarem os 8 módulos prontos, bem como a estrela de Natal, fez-se a montagem da árvore no exterior.


PRESÉPIO DE VITIVINÍCOLA

No âmbito do concurso promovido pela BiblioRodo, “O Melhor Presépio”, as turmas do 1º, 2º e 3º anos, do curso Técnico Vitivinícola, realizaram um presépio com motivos inerentes ao curso, recorrendo a materiais reutilizáveis. Para tal, aproveitaram uma caixa de cartão que revestiram com folhas de videira e ráfia usada para amarrar os pampos da videira.
Para as figuras foram usadas garrafas de vinho, especificamente de 75 centilitros para o São José e de 50 centilitros para a Nossa Senhora. Estas garrafas foram revestidas a ráfia, com os mantos feitos em folhas de videira. A manjedoura foi feita com vides e ráfia.
Desta forma, construiu-se um presépio alusivo ao curso, recorrendo a materiais reutilizáveis.


PRESÉPIO DE COZINHA/PASTELARIA

Este relatório tem como finalidade apresentar a atividade desenvolvida na Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo, com a elaboração de um presépio de Natal, no dia 27 de novembro de 2019, pela turma do 1º ano do curso técnico/a de cozinha/pastelaria.
Numa primeira fase, dando cumprimento aos objetivos do módulo 1 de Gestão e Controlo foi feita a realização de um inventário para que fosse possível obter um balanço real dos artigos armazenados em stock, evitar desperdícios, encontrar produtos deteriorados ou sobras.
Deste inventário foi possível verificar que havia alguma matéria prima perto do fim do prazo de validade, e em articulação com os serviços de cozinha/pastelaria, procedeu-se ao seu aproveitamento e realizou-se a atividade Presépio de Natal, sensibilizando os alunos em relação à segurança alimentar.
Depois de selecionados os produtos a retirar do armazém, a turma recriou o presépio alusivo ao curso em questão.
Este trabalho esteve em exposição na Biblioteca da escola e posteriormente numa montra de um estabelecimento local.
A divulgação deste projeto, através da participação ativa dos discentes, contribuiu positivamente para a melhoria do processo de ensino-aprendizagem dos alunos.


EQUIPAS VERDES

No âmbito do programa Eco-Escolas, a coordenadora do projeto marcou uma reunião/encontro informal com os alunos que residem na Residência Mista da Escola da EPDRR, para o dia 3 de março, após o término das aulas. Este encontro teve como objetivo elucidar os alunos para a importância da atuação de todos na preservação do Meio Ambiente e alertá-los para o facto de, também eles, poderem detetar “problemas” na Escola, podendo estes serem resolvidos com o contributo de todos.
Neste encontro, compareceram alguns alunos, todos eles voluntariamente. A coordenadora do programa agradeceu a sua comparência e entusiasmo no Programa. Esta sessão serviu para esclarecer os alunos sobre os objetivos do programa Eco-Escolas, tendo de imediato surgido ideias sobre tarefas/ ações que os mesmos se propuseram a realizar, tais como: apanhar as laranjas da Quinta que caem ao chão e levá-las para o compostor existente na Escola (situado junto do Hangar de Máquinas), bem como proceder à limpeza do jardim e pátio da Residência Mista da EPDRR. Desta forma, os alunos comprometeram-se, no dia 10 de março, depois das aulas terminarem, a cumprirem o que haviam sugerido.
Assim, no dia marcado, os alunos organizaram-se por equipas com o intuito de cumprirem o que tinham delineado, ou seja:
- apanharam as laranjas que estavam a apodrecer no chão e levaram-nos para o compostor existente na Escola;
- aproveitaram para apanhar o lixo existente no chão nos diferentes espaços por onde andaram;
- limparam/retiraram as ervas do canteiro/pátio levando-as também para o compostor, visto não terem sementes;
- podaram as roseiras e arbustos existentes num dos jardins da Escola (alunos do Curso Técnico de Vitivinícola);
- extraíram as ervas daninhas existentes no jardim.
De salientar que, para além da comparência dos alunos que foram ao encontro/reunião do dia 3 de março, o grupo ainda teve a colaboração de outros que se juntaram para participar nas tarefas acima mencionadas.
Assim, em meu nome, agradeço a todos os alunos que participaram nestas ações, porque sem eles não seria possível concretizá-las.
Obrigada!
O Ambiente também agradece!


ECOPONTOS

A turma do 2.ºN, do Curso Técnico de Apoio Psicossocial, trabalhou, ao longo do ano letivo, o tema Educação Ambiental nas várias disciplinas que compõem o Curso, enquadrado nos projetos de Flexibilidade Curricular e Cidadania e Desenvolvimento da mesma, bem como no Programa Eco-Escolas.
Assim, ao longo do 1.º e 2.º período, continuou-se a construir ecopontos com caixas de cartão para incentivar os alunos e restante Comunidade Escolar, a separar o lixo, bem como sensibilizar para a importância da preservação do Meio Ambiente.
Esta iniciativa deveu-se ao facto de existirem salas de aula que ainda não possuíam ecopontos para separação do papel e do plástico, ou pelo facto de alguns ecopontos já estarem danificados e ser necessário substituí-los.
Para tal, fez-se um levantamento das salas de aula, em funcionamento, que necessitavam de ecopontos e, de seguida, começou-se a recolher caixas de cartão que servissem para o efeito.
Posteriormente, as caixas de cartão foram pintadas, umas de amarelo e outras de azul. De referir que a turma do 1.ºN, do Curso Técnico de Apoio Psicossocial, também colaborou na pintura dos ecopontos.
Depois dos ecopontos prontos, os mesmos foram distribuídos pelas salas de aula que ainda não os possuíam.


REUTILIZAÇÃO DE CÁPSULAS DE CAFÉ

Os alunos do Curso Técnico de Apoio Psicossocial foram incentivados, ao longo do ano letivo, a reutilizarem cápsulas de café, para além de outros materiais.
Como a nossa Escola já tem um compostor, construído no ano letivo 2017/2018 pela turma do Curso Técnico de Produção Agropecuária, os alunos colaboraram no aumento da pilha de compostagem, pois foram recolhendo cápsulas de café usadas e retiraram do seu interior a borra do café, deitando-a, posteriormente, no compostor. Para a realização do exposto, foi necessário abrir as cápsulas de café e, desta forma, separar todos os elementos das mesmas.
Assim, a borra de café foi colocada no compostor, contribuindo para a realização de composto, um material orgânico com aspeto de terra, escuro, sem odor e com excelentes qualidades fertilizantes. O composto será posteriormente utilizado na Quinta da Nossa Escola como estrume para o solo, nas atividades relacionadas com a agricultura.
Os alunos, ao separarem todos os elementos das cápsulas de café, verificaram que ainda podiam aproveitar, para além da borra do café, as bases de plástico e o alumínio. Desta forma, ainda conseguiram realizar trabalhos práticos usando esses elementos, desenvolvendo, assim, a criatividade e a imaginação.


COMPOSTAGEM

Como a nossa Escola já tem um compostor, construído no ano letivo 2017/2018 pela turma do Curso Técnico de Produção Agropecuária, os alunos do Curso Técnico de Cozinha/ Pastelaria são incentivados pelos professores da área técnica a levarem para o mesmo os restos de alimentos biodegradáveis, tais como restos de vegetais e frutas, cascas de ovos, entre outros.
No Curso Técnico de Apoio Psicossocial, os alunos também são incentivados a colaborarem no aumento da pilha de compostagem e, desta forma, ao longo do ano letivo, foram recolhendo cápsulas de café usadas e retiraram do seu interior a borra do café, deitando-a, posteriormente, no compostor.
Os alunos da turma do 3.ºB, do Curso Técnico de Vitivinícola, também têm por hábito colocar no compostor os restos da poda, remexer a pilha de resíduos orgânicos, para arejar, e cobrir a pilha com resíduos castanhos, na maior parte das vezes com folhas secas, para evitar a proliferação de odores, insetos e outros animais indesejáveis.
Desta forma, os alunos contribuem para a realização de composto, um material orgânico com aspeto de terra, escuro, sem odor e com excelentes qualidades fertilizantes.
Por fim, o composto é utilizado, na Quinta da Nossa Escola, como fertilizante para a terra, nas atividades relacionadas com a agricultura biológica.


DETERGENTES ECOLÓGICOS E DOSEADORES

O nosso planeta está sobrelotado e os seus recursos naturais são cada vez mais escassos. Quer isto dizer que se torna cada vez mais importante optar por produtos sustentáveis e ecológicos e os produtos de limpeza não são exceção.
Desta forma, devido ao elevado consumo exacerbado de detergentes de limpeza, resultando de gastos excessivos, no início deste ano letivo, foi realizada uma pesquisa sobre alternativas aos produtos de limpeza utilizados até então.
Assim, depois de várias procuras, a Escola entrou em contacto com uma empresa de comercialização de equipamentos e produtos de higiene, limpeza e drogaria. Depois dos aconselhamentos dados pela mesma, a Escola passou a adquirir os seus detergentes 100% ecológicos.
De salientar, ainda, que para além da aquisição de detergentes de limpeza 100% ecológicos, a Escola investiu num serviço de dosagem automática, um serviço para reduzir custos diários de higienização, utilizando para o efeito doseadores concentrados.
O detergente concentrado utilizado na Escola tem a particularidade de ser de origem vegetal à base de ácido orgânico de origem natural (ácido cítrico). Contém matérias-primas de origem vegetal derivados de beterraba sacarina, celulose e óleo de coco. Perfume a vinagre de maçã, sem alergénios, sem fosfatos e sem níquel (inferior a 0,01 ppm). Se o produto for diluído de acordo com a diluição aconselhada, não é classificado como perigoso em conformidade com o Reg. 1272/2008 e indicado inclusive em ambientes HACCP- Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controlo.
O serviço de doseamento automático Sutter permite que sejam apenas utilizadas as doses recomendadas para a limpeza a efetuar, ou seja, não haverá desperdício de detergente. A dosagem do detergente libertado depende dos litros de água pretendidos.
De salientar que estes produtos ecológicos têm a vantagem de não serem tão prejudiciais ao nosso ambiente e possibilitam a utilização de frascos recarregáveis, reduzindo assim os resíduos de plástico.
Para além desta gama, de produtos eco sustentáveis, reduzir a produção de resíduos de plástico e reduzir o CO2 libertado na atmosfera, as embalagens são feitas de plástico reciclável que podem ser eliminadas na recolha seletiva.


INSTALAÇÃO DE LÂMPADAS LED NOS ESPAÇOS LETIVOS DA ESCOLA

No âmbito do curso de Técnico de Instalações Elétricas, na disciplina de Práticas Oficinais, os alunos da turma C do 2º e 3º ano procederam, no início do ano letivo, à elaboração de um estudo sobre consumos elétricos nos edifícios do complexo escolar.
Face aos resultados obtidos foi decidido intervir em todos os espaços cuja iluminação ainda não era em LED, procedendo à substituição das lâmpadas existentes por lâmpadas LED.
A tarefa foi realizada em articulação curricular com todas as disciplinas do curso, tendo os alunos aplicado inúmeros conhecimentos adquiridos na componente técnica do curso.
Devido ao plano de contingência de isolamento social e Estado de Emergência, decretado pelo Governo, face ao COVID-19, esta atividade só foi concretizada no 2.º período, pelo que ficou por concluir a montagem prática das lâmpadas no Hangar de máquinas agrícolas e adega, tendo, contudo, sido feito o levantamento das quantidades existentes.
No total foram substituídas 72 lâmpadas fluorescentes de 1,5m, por equivalentes em LED, permitindo uma redução de: 58W da Lâmpada + Balastro (1/3 de 58W) = 77,33w para 24w, ou seja, 69% menos de consumo.
Refira-se que a substituição de lâmpadas melhorou também o fluxo luminoso, isto é, o nível de luz existente no espaço, permitindo a diminuição do esforço nas tarefas que necessitam de elevada acuidade visual, uma vez que esse fluxo é superior neste tipo de lâmpadas.


CRIAÇÃO/RECRIAÇÃO DE VESTUÁRIO

Os conceitos de igualdade, de cidadania, educação ambiental, direitos humanos, desenvolvimento sustentável, saúde, entre outros, são essenciais para a formação dos nossos jovens.
Assim, no âmbito da Cidadania e Desenvolvimento, do projeto de flexibilidade curricular da turma e do Programa Eco-Escolas, ao longo deste ano letivo, continuou-se a incentivar nos alunos a realização de ações, por menores que pareçam, pois estas podem fazer a diferença, não só na preservação, mas também na recuperação do Planeta.
Desta forma, o projeto “Criação/ recriação de vestuário” foi desenvolvido com a turma do 2.º N, do Curso Técnico de Apoio Psicossocial, na disciplina de Área de Expressões, no Módulo 9: Jogo de Personagens. O mesmo teve vários objetivos, a saber: elucidar os alunos para a importância da atuação de todos na preservação do Meio Ambiente; realizar ações, propostas pelos alunos, de forma a contribuir para a preservação do Meio Ambiente; criar e recriar vestuário utilizando roupa que já não tem utilidade e que já não está apta a ser usada; explorar diferentes meios, técnicas e materiais reutilizáveis; dar a conhecer à comunidade escolar trabalhos que se podem desenvolver a partir de diferentes materiais; desenvolver a criatividade.
Para além dos objetivos referidos, houve a preocupação de incutir nas alunas (turma só de raparigas) o hábito de olhar para os resíduos, como recursos e não como “lixo”, bem como recriar peças de vestuário tendo em conta os materiais utilizados na sua elaboração.
Este projeto começou em janeiro de 2020, início do 2.º período, nas aulas presenciais da disciplina de Área de Expressões. Entretanto, após o encerramento de todos os estabelecimentos de ensino em Portugal, devido à pandemia do COVID-19, as alunas continuaram a desenvolver o projeto em casa e tiveram a oportunidade de o fazer com a colaboração dos Encarregados de Educação ou outros familiares.
De referir que, o facto de as alunas se encontrarem em casa no período do ensino à distância, permitiu que as mesmas tivessem oportunidade de descobrir peças de roupa esquecidas em casa, e as pudessem renovar, alterando-as ou modificando-as, de forma a dar-lhe uma nova vida, para as voltarem a usar.


UTILIZAÇÃO DA BORRA DE CAFÉ COMO FERTILIZANTE PARA A TERRA

Logo a seguir ao plano de contingência de isolamento social e o Estado de Emergência decretado pelo Governo, por causa do COVID-19, foi feito um apelo a toda a Comunidade Escolar, via e-mail institucional e página da Escola, no sentido de alertar para a importância da preservação do Meio Ambiente.
Para além de se reforçar o valor da separação do lixo doméstico, a Comunidade Escolar foi incentivada a participar em algumas atividades, sendo uma delas a reutilização das cápsulas de café.
Desta forma, pediu-se para reutilizarem as cápsulas de café, abrindo-as e tirando o café do seu interior para depois poderem deitar a borra no quintal/ jardim, já que esta é um bom fertilizante para a terra e para as plantas.
Sendo o café considerado um ótimo fertilizante, já que possui a propriedade de deixar o solo mais fértil, repleto de nutrientes, auxiliando para um melhor desenvolvimento das plantas, esta atividade tinha vários objetivos, nomeadamente:
- preservar o Meio Ambiente;
- promover a separação do lixo doméstico;
- reutilizar as cápsulas de café aproveitando a borra existente nas mesmas;
- utilizar a borra de café como fertilizante para a terra e para as plantas.
Neste sentido, alguns elementos da Comunidade Escolar fizeram chegar fotografias com evidências da realização do que lhes foi sugerido.
De realçar que um elemento da Comunidade Escolar fez questão de plantar um azevinho, por estaca, na Floresta Centenária da Serra do Marão, utilizando a borra de café como fertilizante para a terra, fazendo-nos chegar essa mesma evidência.
Estamos convictos que mesmo em casa podemos fazer a diferença!


RECOLHA DE TAMPINHAS DE PLÁSTICO

Os conceitos de igualdade, de cidadania, educação ambiental, direitos humanos, desenvolvimento sustentável, saúde, entre outros, são essenciais para a formação dos nossos jovens.
Assim, no âmbito da Cidadania e Desenvolvimento e do Programa Eco-Escolas, ao longo deste ano letivo, continuou-se a recolher tampinhas de plástico incentivando, desta forma, a separação seletiva do plástico, atividade já feita em anos anteriores.
Para além de fomentar a separação seletiva do plástico, esta recolha teve outros objetivos, tais como: sensibilizar toda a Comunidade Escolar para a importância da preservação do meio ambiente, promover a formação social do sujeito, bem como a Cidadania e Desenvolvimento.
No início deste ano letivo, para além dos objetivos mencionados, estava previsto participar em atos de solidariedade, nomeadamente oferecer as tampinhas recolhidas ao Renato Martins, menino com paralisia cerebral e Síndrome de West, visto existir uma campanha de recolha para fazer face aos elevados custos mensais com os tratamentos do Renato, sobretudo Fisioterapia, Terapia da Fala e Terapia Ocupacional.
No entanto, face à atual situação que vivemos, e pelo estado de emergência declarado que levou ao encerramento das escolas e das aulas presenciais até ao final do ano letivo, o objetivo de participar em atos de solidariedade, ficou suspenso até ao próximo ano letivo.
A atividade “recolha de tampinhas de plástico”, iniciou-se em setembro de 2019. Entretanto, após o encerramento de todos os estabelecimentos de

Histórico de participação e Galardão Eco-Escolas

  2019-2020 2018-2019 2017-2018 2016-2017 2015-2016 2014-2015 2013-2014 2012-2013 2011-2012 2010-2011 2009-2010 2008-2009 2007-2008 2006-2007 2005-2006 2004-2005 2003-2004 2002-2003 2001-2002 2000-2001 1999-2000 1998-1999 1997-1998 1996-1997
inscrita                                      
galardoada                                        
visitada