Category

Seminário 2018 | Apresentações

Workshop ABAE

By | Seminário 2018 | Apresentações

Por Margarida Gomes e Inês Pascoal

O objetivo deste workshop é o de apresentar várias ferramentas de trabalho disponíveis para a coordenação do Programa Eco-Escolas, clarificando e exemplificando a sua utilização:

  • breve passagem pelas várias fases de trabalho na plataforma Eco-Escolas: inscrição, acompanhamento, galardão; perguntas e dúvidas mais frequentes; documentos de trabalho.
  • exposições, jogos e ateliers temáticos que podem ser reproduzidos e/ou requisitados pelas escolas. Novidades: Loto da Floresta, puzzles Árvores Nativas, jogo de chão “Espiral das Alterações Climáticas”.

Ferramentas Tecnológicas para a promoção da Biodiversidade

By | Seminário 2018 | Apresentações

Por Ilisa Antunes e Daniel Ferreira

Numa primeira parte teórica, será debatida a importância do uso de algumas ferramentas tecnológicas para a promoção da biodiversidade, nomeadamente a biodiversidade urbana, quer para uso em contexto escolar, quer como meio de promoção do turismo de natureza. Serão apresentadas algumas aplicações móveis existentes, nomeadamente a aplicação móvel Biodiversity GO! lançada pelo Laboratório da Paisagem. 

Na parte prática, os participantes serão convidados a explorar os Jardins do Palácio Vila-Flor para identificação de algumas espécies, nomeadamente espécies arbustivas e arbóreas e também espécies de avifauna, com os nossos investigadores.

Autonomia e Flexibilidade Curricular numa Eco-Escola

By | Seminário 2018 | Apresentações

Por Maria de Jesus Carvalho

A educação/ escola desempenha um papel crucial na consciencialização, treino e desenvolvimento dos alunos como futuros cidadãos, conscientes e ativos pelo ambiente e pela sociedade. A escola deve, assim, dar a oportunidade aos alunos de resolverem, de forma ativa e democrática, questões ambientais ao nível local, de modo a que compreendam a relação com a sua própria vida.

O programa/ projeto Eco-escolas surge neste sentido. Este pressupõe uma educação ambiental, incutindo nas crianças uma consciência ecológica e de respeito pelo meio ambiente/ natureza, pressupostos igualmente contemplados na área da Cidadania e Desenvolvimento que está intimamente relacionada com toda a prática desenvolvida pelos professores no âmbito da flexibilidade curricular. Esta flexibilidade curricular implica um cruzamento de conhecimentos/ conteúdos que completem a criança no seu todo, tendo sempre presente o respeito pela sociedade e pela natureza, tornando, deste modo, o projeto Eco-escolas pertinente no desenvolvimento do processo educativo dos alunos e contribuindo, assim, para o desejado sucesso educativo.

Island Diversity

By | Seminário 2018 | Apresentações

Por Rosa Doran

Island Diversity: from collaborative inquiry to science outreach with Science Trails

O projeto Island Diversity pretende envolver estudantes de várias ilhas, em vários pontos do globo,  em propostas de investigação científica conjunta, em que a diversidade das ilhas é estudada e as suas especificidades transformadas em trilhos da ciência. A comunidade local é convidada a fazer o percurso enquanto participa numa experiência imersiva de visitação das características únicas das suas ilhas e conhecimento das semelhanças entre as várias localidades que participam no projeto. Os estudantes envolvidos no processo terão a oportunidade de fazer investigação colaborativa com seus colegas em outras partes do mundo, desenvolvendo competências importantes tais como: pensamento crítico, criatividade, capacidade de argumentação e comunicação, entre outras importantes competências que encontramos no “Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória”.

Workshop: Natureza Contada

By | Seminário 2018 | Apresentações

Por  Ana Morgado e Cecília Henriques

Natureza Contada – Lugares Distantes Dentro de Nós é um projecto de educação ​ambiental mobilizado pelo poder vinculador da literatura e do ac​to de contar histórias e alinhado com a motivação intrínseca da criança. Através dele propomos a construção de uma consciência ecológica profunda, assente numa visão holística do mundo e do ser humano, que valida e explora diversas esferas de apreensão da realidade, para promover aprendizagens integradas e significativas.

Neste workshop convidamos os participantes a vislumbrar e a experimentar alguns momentos de uma viagem de descoberta de três lugares e de três povos, a partir de três contos tradicionais, norteada pela metodologia de trabalho de projeto. O caminho a percorrer abarcará o metafórico e o literal, o subjectivo e o objectivo, o científico e o maravilhoso, a imersão e a participação.

Workshop: BGreen, como fazer um Spot de Vídeo

By | Seminário 2018 | Apresentações

Por Henrique da Silva

Hoje, as ferramentas multimédia e audiovisuais estão completamente acessíveis a qualquer pessoa. Para os adolescentes e jovens representam, até, o seu ambiente natural de comunicação e relação. No entanto, com muita frequência, tais ferramentas e tecnologias, funcionam mais como obstáculo na relação ensino-aprendizagem e como um problema no âmbito escolar, do que como oportunidade de aproximação entre professores e alunos, e de desenvolvimento de contextos de educação e aprendizagem significativa. O Bgreen Ecological Film Festival (internacional) apresenta uma proposta de aplicação das ferramentas do audiovisual e multimédia à educação cívica, social e ambiental em contexto escolar, usando a tecnologia que a maioria dos alunos tem mesmo à mão!

Com este workshop pretende-se mostrar como as ferramentas áudio e multimédia podem contribuir para desenvolver um ambiente pedagógico, formal e informal, mais rico e potenciador da aprendizagem dos jovens.

Objetivos:

  • Facultar conhecimentos ligados às áreas do audiovisual e da produção de vídeos.
  • Proporcionar a oportunidade aos participantes de colocarem em prática as competências, soft and hard skills, adquiridas no workshop.
  • Divulgar e promover a participação no BGREEN.

Workshop: O Solo a Pela da Terra

By | Seminário 2018 | Apresentações

Por José Silva

A Workshop incidirá, não só na enorme importância do solo, que ele é por natureza, como também, na sua vulnerabilidade às agressões externas, sendo ainda, inúmeras vezes, alvo de perigosos atentados pelos quais o Homem é, frequentemente, o principal responsável. De entre esses atentados foi realçado, desde há bastante tempo, o problema da erosão, que tem condicionado fortemente a perda irreversível de muitas toneladas de solo por ano, mas, cada vez mais, outras formas de degradação, como a compactação, a salinização, a acidificação e a contaminação por compostos orgânicos e elementos químicos vestigiais, que assumem importância significativa preocupante.

Workshop: Laboratório da Paisagem

By | Seminário 2018 | Apresentações

Por Ilisa AntunesDaniel Ferreira

Numa primeira parte teórica, será debatida a importância do uso de algumas ferramentas tecnológicas para a promoção da biodiversidade, nomeadamente a biodiversidade urbana, quer para uso em contexto escolar, quer como meio de promoção do turismo de natureza. Serão apresentadas algumas aplicações móveis existentes, nomeadamente a aplicação móvel Biodiversity GO! lançada pelo Laboratório da Paisagem.

Na parte prática, os participantes serão convidados a explorar os Jardins do Palácio Vila-Flor para identificação de algumas espécies, nomeadamente espécies arbustivas e arbóreas e também espécies de avifauna, com os nossos investigadores.

Escolas Baixo Carbono – Projeto Climact

By | Seminário 2018 | Apresentações

Por Marta Almeida

A atual conjetura económica e os enormes desafios existentes (ambientais, melhoria da qualidade de vida dos cidadãos, alterações climáticas e segurança no fornecimento de energia) são muito favoráveis à implementação de escolas de baixo carbono.

Ao setor dos edifícios escolares é atribuída uma parte significativa da energia consumida na Europa. A segunda maior despesa nas escolas está associada ao consumo de energia, apenas atrás dos custos em recursos humanos. É imperativo para as escolas reduzir esta despesa, sem afetar as atividades educacionais.

A implementação de uma Economia de Baixo Carbono em escolas, através da incorporação de abordagens complementares como a eficiência energética, iniciativas de crescimento inteligente, medidas de controlo dos transportes, aquisição de produtos energeticamente eficientes e conservação de recursos, conduz a importantes benefícios ambientais, económicos e sociais. Reduz os custos privados e externos e contribui para o cumprimento de objetivos energéticos e ambientais nomeadamente os definidos pelo 7º Programa de Ação em matéria de Ambiente.

O setor escolar detém também um enorme potencial na formação e sensibilização. Pode dotar os alunos de conhecimentos sobre alterações climáticas e energia, garantindo assim que eles cresçam sabendo como atingir um futuro sustentável e como alcançar as metas europeias apenas através de comportamentos conscientes.

O projeto Interreg Sudoe ClimACT surge neste contexto e pretende desenvolver, validar e implementar ferramentas que promovam a transição para uma Economia de Baixo Carbono nas Escolas.

X